CENARIO
Logo Diario X
Aqui tem a Verdadeira Notícia
19 de abril de 2024
Coxim
24ºC
TRIBUNAL

Esportes

Coxinense Helio Lima se destaca na cobertura esportiva independente em MS

Criador do Blog A Bola Rolou, jornalista Hélio Lima passa a concentrar suas atenções na divulgação do Motocross e Velocross de Mato Grosso do Sul

23 FEV 2024Por Redação/EC11h:27

Na última sexta-feira (16) foi comemorado o dia do repórter. Encarar os desafios da reportagem é uma das missões de Hélio Lima, que tem como característica produzir conteúdos independentes voltados para o esporte sul-mato-grossense por meio dos blogs A Bola Rolou e Holeshot e plataformas digitais.

Natural de Coxim, Hélio Lima é formado em jornalismo na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e ainda no período acadêmico, quando estava estagiando, percebeu que haviam algumas lacunas que necessitavam ser preenchidas no esporte de MS. 

Para se diferenciar da concorrência, Hélio criou um estilo próprio e optou por fazer “coberturas alternativas” com o propósito de dar visibilidade para outras modalidades.

“Quando eu fazia Faculdade entrei no site Esporte Ágil, que abriu portas para muitos acadêmicos da UFMS para poder fazer estágio e eu tive essa oportunidade. Em 2014 os sites eram muito fortes e tinha que ter produção autoral, o que foi muito importante e eu vi que o futsal era uma modalidade muito presente principalmente no interior e as próprias corridas de motocross”, lembra Hélio.

Dos terrões das áreas de competições do futebol amador e das pistas de corridas de motocross e velocross, Hélio Lima passou a acompanhar de perto o futsal dentro e fora de quadra, convivendo e frequentando ambiente com atletas e organizadores. “Uma coisa que eu aprendi na UFMS foi a tal da imersão. De ter contato e vivenciar aquilo que você está cobrindo. No futsal, eu era molequinho e cheguei a jogar, eu tinha uma certa noção de como as coisas funcionavam. Eu sabia que eu só ia entender e aprender as histórias, viajando com os caras, tomando uma (cerveja) no jogo e eu tento ter essa imersão e o trabalho vai evoluindo de acordo com a necessidade” afirma Hélio.

O jornalista em pouco tempo, começou a se tornar parte integrante daquele meio, ao ponto de criar um blog para divulgar as notícias e fazer lives no canal A Bola Rolou no YouTube, primeiramente contando com o suporte financeiro advindo do site Esporte Ágil e depois contando com o apoio de patrocinadores.

“Quando eu comecei a cobrir futsal, os jogos estaduais da Federação eram no Rádio Clube e eu ia lá, assistia, pegava os resultados, só que eu fui notando que ninguém gravava esses jogos. Eu nem sabia ligar a minha câmera direito, gravei porque os veículos de mídia que em tese deveriam se preocupar com isso, por vários motivos não cobriam e eu comecei a cobrir. Fui começando a gravar os jogos, aí começou a abrir um monte de portas, porque a gente começou a fazer mais parcerias para continuar o trabalho. Eu tenho uma pitada meio de historiador, de querer registrar tudo aquilo e isso ficar de arquivo”, diz Hélio.

Para “abastecer” o site Esporte Ágil, Hélio Lima passou a escrever matérias exclusivas com o objetivo de alcançar os mais variados públicos. Diante desse pressuposto, criou o Blog Holeshot com o conceito de informar e trazer em “primeira mão”, todas as novidades do motociclismo de MS. “Eu tinha um trabalho com o futebol amador que eu ia nos bairros da cidade fazer a cobertura, postava os resultados e as matérias das rodadas. Porque como tinham vários campeonatos e tinha uma audiência legal, compensava mais do que cobrir o próprio futebol profissional, porque tinha campeonatos o ano inteiro, então e eu conseguia me manter. Eu sempre gostei de corrida, quem me segue nas redes sociais sabe.  Eu fico postando vídeo de Nascar e de várias categorias automobilísticas. Conheci o velocross que é mais ou menos o motocross sem obstáculos, só reta e curva e ali eu comecei a criar esse vínculo”, lembra Hélio.

Se por um lado, a paixão pelas corridas fez com que Hélio Lima se dedica-se ao trabalho voltado para as pistas, por outro, também contribuiu para que Danielle Mugarte (que trabalhou como assessora de imprensa de motociclismo local e nacional) volta-se aos gramados, ao criar a rede social chamada ABR Sports.

“A Dani teve uma experiência trabalhando na assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM) e quando eu a reencontrei no final de 2022, ela estava trabalhando com a FEMEMS (Federação Sul-Mato-Grossense de Motociclismo), a gente conversava bastante e trocava experiências. No meu caso, eu era um maníaco por corrida, era de carro, só que com a proximidade com a moto, eu já tive aquela identificação. E a Dani ela tem aquele lance pelo futebol profissional, que já é uma coisa que eu não tenho né? Aí eu sugeri para ela fazer a cobertura do Estadual Profissional e ela fez. Teve até um jogo do próprio Coxim aqui (em Campo Grande) que ganhou de 1 a 0 do Comercial, que o Tales entrou no segundo tempo e fez o gol, e estourou de audiência, acho que deu mais de 12 mil visualizações”, afirma Hélio.

Em julho, a página da ABR Sports firmou parceria com portal Sem Retranca no Instagram com intuito de contar detalhes sobre a Seleção Brasileira Feminina durante o Mundial da Austrália e da Nova Zelandia, chamado Minuto Copa do Mundo também com a apresentação de Dani Mugarte. Já Hélio Lima que durante muito tempo foi uma referência para os amantes da bola pesada, segue atuando nas produções para o blog Holeshot promovendo os corredores com enormes potenciais no estado, basicamente como um social mídia.

“O nosso trabalho hoje é gravar os vets, produzir as matérias, fazer a repercussão e parcerias para soltar umas entrevistas. Eu vou para corrida, gravo as baterias, fico de feed maker, daí no intervalo eu converso com os pilotos e vejo como estão as coisas, a gente fecha algumas parcerias para fazer vídeo deles, eu edito e vou soltando com o decorrer da semana no YouTube, no Instagram e no Blog Holeshot. Comecei com o boletim que eu solto somente com os destaques da semana e pretende mexer numa revistinha e fazer uma greef holeshot para vender camisetas e bonés. É um ambiente muito familiar e eu acho que algo que devia ser bem mais explorado até pela própria mídia esportiva daqui, porque você tem eventos do início de fevereiro até final de dezembro e eu gosto mais de corrida do que de futebol. Futebol, eu brinco com os amigos, que assisto para ter assunto para conversar com os outros. Muitos pilotos são empresários, tem muita paixão no meio, todo mundo se ajuda e você consegue ter uma coisa mais profissional” finaliza Hélio Lima.

Lucas Mendonça/Sem Retranca

Mamma dentro

Leia Também