Publicidade
Marmoaria

Diário X

22 de setembro de 2020
Aqui tem a Verdadeira Notícia
29º 19º
Coxim/MS
27º 18º
Campo Grande/MS
16º 13º
São Paulo/SP
27º 19º
Brasília/DF

Boca Pequena

PRIVILEGIADO

5 JUN 2020Por Redação21h:29

Nos quatro cantos da cidade de Coxim e também nos distritos da área rural, a reclamação é unânime em relação à deficiência na manutenção da iluminação pública, com a escuridão tomando conta do Município.

No entanto, na Rua Visconde de Taunay nº 100 no bairro Senhor Divino, tem um cidadão que ao contrário dos demais mortais cidadãos coxinenses, a frente da residência dele está muito bem servida, com dois braços e duas luminárias no mesmo poste.

Não que o morador e sua família não mereçam, mas diante de uma situação caótica, onde todos pagam a taxa de iluminação pública e a maioria não desfruta do benefício - pagando pelas luzes apagadas - o proprietário da casa, em se tratando de Coxim, é um privilegiado, visto que na própria rua de sua residência, existem locais na completa escuridão.   

Um internauta chegou a fazer a seguinte indagação no perfil do Facebook: "Veja duas lâmpadas acesas em um só lugar, isso é revoltante. Será que mora alguém privilegiado próximo deste local, enquanto noutras ruas estão várias lâmpadas queimadas"

Em Coxim, o problema não se restringe à falta de iluminação. Luzes acesas durante o dia também são encontradas em muitos locais do município. Este é um malefício que, além de consumir energia elétrica paga por moradores, acaba deteriorando as lâmpadas em um curto período de tempo.

Mas... e daí? Quem pode esclarecer e se responsabilizar por essa inusitada situação, onde os dois braços e as duas lâmpadas foram instalados em um único poste, que não é de esquina e se fosse, até que poderia ter uma justificativa.

Quem fez esse serviço!?  O próprio morador, a equipe de iluminação pública da prefeitura de Coxim, um mágico, a fada madrinha ou brotaram no poste?

Levando-se em consideração que na gestão do prefeito Aluizio São José (PSB) - até o mês de maio de 2020 - o sofrido contribuinte coxinense já pagou para os cofres da prefeitura de Coxim, a quantia superior a R$ 14 milhões de reais, só da Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP), mais conhecida como taxa de iluminação pública, pode-se afirmar com toda certeza, que o problema não é pela falta de dinheiro, mas sim, uma questão de competência, gestão e respeito para com o povo coxinense. 

Só para se ter uma ideia do enorme valor que cada cidadão coxinense paga, a média mensal de arrecadação referente ao ano de 2020, correspondente ao valor de aproximadamente R$ 300 mil reais por mês

Saiba Mais

Gestão do atual prefeito de Coxim arrecada quase 13 milhões da taxa de iluminação pública e o município está na escuridão

Enquanto praças vivem na escuridão, órgãos públicos tem luzes acesas o tempo todo

Perigo na ciclovia entre Coxim e Silviolândia

Publicidade
.

Leia Também