Tjnet dentro das matérias
Logo Diario X
Aqui tem a Verdadeira Notícia
15 de agosto de 2022
35º 25º
Coxim/MS

Saúde

Covid causa inchaço? Entenda sequelas relatadas por Joelma

31 MAI 2022Por Redação/EC21h:20

Em show realizado no último domingo (29), em Parauapebas, no Pará, a cantora Joelma apareceu com rosto inchado e deixou os fãs preocupados. 

O inchaço, de acordo com a própria cantora, é uma sequela da Covid-19. A paraense já foi infectada três vezes pelo vírus. Ela explica que o vírus lhe deixou um "efeito sanfona" e que há dias nos quais o corpo fica inchado, mas depois volta ao normal.

Nesta terça-feira (31), Joelma postou novas fotos nas redes sociais. Nas imagens, ela parece com o rosto aparentemente desinchado. 

A reportagem  procurou profissionais da área de saúde para esclarecer quais sequelas ou sintomas o vírus pode causar.

A infectologista Andrea Beltrão comenta que é raro que ocorra esse tipo de sequela. "Essa sequela não é comum, não tem relação com procedimentos estéticos. O edema que ocorre após a Covid-19 é devido o processo inflamatório intenso que leva a trombose na microcirculação".

A doutora explica que reinfecções não potencializam os problemas, o efeito é contrário e "a tendência é que os sintomas seja mais leves".

A vacina contra covid, quando aplicada em pessoas que usam ácido hialurônico, pode causar esse problema?

A Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional São Paulo (SBD-RESP) publicou uma nota com estudos feitos pela revista científica New England Journal of Medicine (NEJM). A pesquisa foi realizada com a vacina da Moderna. 

A pesquisa contou com 30 mil voluntários (metade foi vacinada e a outra metade recebeu um placebo). Apenas duas mulheres que haviam feito preenchimento facial de dois a seis meses antes do teste com a vacina contra Covid relataram inchaço no local de aplicação dos preenchedores.

"Duas pessoas em um grupo de mais de 30 mil não é considerado um número estatisticamente significativo. Além disso, efeitos colaterais advindos da aplicação de preenchedores faciais não são apenas raros, mas também transitórios e benignos. Geralmente, eles se caracterizam pela presença de sinais inflamatórios (inchaço, vermelhidão, calor e dor no local da aplicação do preenchedor) e respondem bem ao tratamento, que é individual e deve ser sempre prescrito por um dermatologista", aponta a Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional São Paulo (SBD-RESP)

Depois de uma infecção por Covid-19, ou mesmo a vacinação, ocorre um processo inflamatório no organismo e ele pode interagir com o ácido hialurônico presente nos tecidos aplicados. A dermatologista Ana Luiza Esteves comenta o motivo de ocorrer esse processo na face.

"É um lugar onde mais aplicamos ácido hialurônico, mas pode ocorrer em outras partes do corpo. Não é um evento tão comum, mas pode acontecer e é atribuída ao preenchimento facial. Tem alguns casos realmente que podem ocorrer sem o ácido hialurônico, mas eles são realmente bem pequeno", disse a dermatologista.

Esse processo pode ocorrer por causa de outras doenças, mas esse problema tem sido bastante relacionado ao covid-19. Ana Luzia Esteves ressalta que é importante tomar as vacinas disponíveis, mesmo que esse problema ocorra. "Até porque a própria doença pode desencadear esse quadro. Quando isso acontece, existe tratamento e os pacientes costumam responder muito bem".

Ana Luiza Esteves explica que existe tratamento para esse inchaço. "O tratamento é com substâncias anti-inflamatórias como corticoides. Em alguns casos pode ser necessário o ácido hialurônico com uma substância chamada hialuronidase, é como se ela dissolvesse esse hialurônico para ele não ficar mais presente neste tecido onde ele está", afirma a dermatologista.

G1 Pará/Belém

Mamma mia e impacto

Leia Também