Publicidade
Point do suco

Diário X

16 de abril de 2021
Aqui tem a Verdadeira Notícia
34º 21º
Coxim/MS
32º 20º
Campo Grande/MS
27º 15º
São Paulo/SP
29º 15º
Brasília/DF

Saúde

Campanha contra gripe altera grupos prioritários para não ocorrer choque de vacinas

Com campanhas simultâneas a partir de semana que vem, vacinação contra gripe e covid-19 não podem ser tomadas juntas

7 ABR 2021Por Talyta Rodrigues07h:41

Grupo de pessoas com mais de 60 anos farão parte da segunda etapa da vacina contra a Influenza em 2021. Mato Grosso do Sul contará com duas campanhas de vacinação simultâneas a partir do dia 12 de março, contra a Covid-19 e a Influenza.  

As campanhas acontecerão em paralelo e já levantam dúvidas sobre quem deve tomar as doses, qual o tempo de espera entre uma vacina e outra e como será a organização para evitar aglomerações nos postos de saúde.

Geralmente, a Vacinação contra gripe tem início pelos idosos. Entretanto, este ano este grupo foi transferido para a segunda etapa de vacinação, para não haver conflito entre os dois calendários de vacinação.  

Este ano, será realizada a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, no período de 12 de abril a 09 de julho de 2021. De acordo com o calendário divulgado pelo Ministério da Saúde, no primeiro grupo estão crianças, gestantes, mulheres no puerpério (que tiveram filho há pouco tempo), indígenas e trabalhadores de saúde.  

A médica infectologista, Mariana Croda explica que é muito importante receber a vacina da gripe durante a pandemia, já que tanto a gripe quando a Covid são doenças que afetam o sistema respiratório. 

"Principalmente, o grupo colocado como de risco que são gestantes e crianças, que são pessoas que não estão na primeira leva da vacinação para Covid e são prioritárias neste momento para influenza”, destaca.  

A partir do dia 11 de maio, a vacinação será em pessoas com mais de 60 anos e professores. Entre os dia 9 de junho e 9 de julho serão imunizados indivíduos com comorbidades ou deficiências permanentes, caminhoneiros, trabalhadores do sistema rodoviário e portuário, forças de segurança e das Forças Armadas, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e jovens de 12 a 21 anos que estão sob medidas socioeducativas.

Prazo entre as vacinas

Segundo as orientações das autoridades em saúde pública, para receber as vacinas da gripe e da Covid-19, é preciso esperar por um intervalo de 15 dias entre uma e outra, segundo as orientações das autoridades em saúde pública.  

Croda detalha que toda vez que uma pessoa recebe uma vacina deve haver um prazo de 14 dias para resposta imunológica do vacinado. “Além disso, o intervalo é para a gente não confundir os eventos adversos que possam surgir. Então damos esse prazo para uma margem de segurança”.  

As reações adversas da vacina da gripe incluem dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção, febre, mal-estar e dor muscular. Apesar das poucas informações que a vacinação contra a covid-19 já disponibilizou, as pessoas que já foram imunizadas com a vacina também relataram dor local, inchaço e vermelhidão.

“Ressalto que ambas são seguras, a gente já conhece a vacina da gripe, ela não alterou é a mesma vacina, ela também é produzida pelo Butantan, assim como a da Covid. Então a gente não tem muito medo sobre elas”.  

A pessoa que tomar a primeira dose da Coronavac, deve aguardar o prazo de 14 a 28 dias para receber a segunda dose. Assim, é necessário aguardar mais duas semanas para tomar a vacina contra a gripe.  

Já o imunizante da Astrazeneca, que possui prazo entre a primeira e a segunda dose de três meses, a vacina da gripe pode ser aplicada entre os dois períodos.  

Desse modo, a pessoa pode tomar a primeira dose e aguardar duas semanas para receber a vacina contra a gripe. Na sequência, basta esperar os dois meses e meio restantes para completar a proteção contra a covid-19 com a segunda dose da Astrazeneca.

Qual priorizar?

De acordo com Croda, se uma pessoa fizer parte do público-alvo das duas campanhas, a prioridade deve ser dada à vacina contra a Covid-19. Ela ressalta que a vacina contra a Influenza deve ser tomada logo depois do período de espera.  

“A associação das duas vacinas não há problema nenhum em utilizar uma vacina ou outra, as duas não se cruzam e não tem nenhum problema em realizar a vacinação concomitante, com o prazo de duas semanas entre elas”.  

Vacinação contra Covid no Estado

Estado já recebeu 11 lotes de vacinas do Ministério da Saúde e totaliza 576.510 doses dos imunizantes Coronavac e Astrazeneca. De acordo com o vacinômetro disponibilizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), já foram aplicadas 464.882 doses, sendo 361.789 da primeira e 103.093 da segunda.  

Mato Grosso do Sul é o estado que mais vacinou no Brasil, com taxa de 12,88% de vacinação da população, superando a média nacional de 9,06%. Campo Grande tem aproximadamente 13% de sua população vacinada. Quanto aos imunizados, aqueles que receberam as duas doses necessárias, a porcentagem está em 3,67%.

Na Capital, a vacinação já alcançou idosos com 62 anos, que podem se vacinar contra a Covid-19 na terça-feira (6), conforme o calendário divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).  

Ana Clara Flores - Correio do Estado

Publicidade
Chicão

Leia Também