Publicidade
Point do suco

Diário X

16 de abril de 2021
Aqui tem a Verdadeira Notícia
34º 21º
Coxim/MS
32º 20º
Campo Grande/MS
27º 15º
São Paulo/SP
29º 15º
Brasília/DF

Política

Geraldo Resende aciona PF para investigar ataques da extrema direita

Além disso, o secretário pediu ao Ministério Público que investigue suposto desvios de vacinas no Estado; mensagens foram compartilhados no WhatsApp

7 ABR 2021Por Redação/ Talyta Rodrigues15h:19

O Secretário de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, acionou a Polícia Federal e o Ministério Público Estadual (MPMS) para investigar denúncias feitas por um site de notícias de Dourados que revelariam um desvio de 200 doses de vacinas contra a Covid-19, A CoronaVac.  

Além disso, o secretário afirmou ao Correio do Estado, que está sendo vítima de uma campanha de difamação de grupos de extrema direita sul-mato-grossenses nas redes sociais.  

“Eu prontamente acionei a PF para que investigue quais sites, ou perfis, que possivelmente me colocam dentro de uma possível irregularidade como essa. O intuito dessas pessoas é difamar o estado que é um dos destaques nacionalmente com sua campanha de imunização, configurando seja na primeira posição de vacinados, ou entres os três primeiros”, informou.  

Além disso, o secretário afirmou que sua equipe já reuniu um material que foi entregue a Polícia Federal, bem como a Promotoria, que reúne perfis "fakes" e mensagens de ódio para que esses criminosos virtuais sejam identificados e processados devidamente.  

“Eu cheguei até essas denúncias após colegas me alertarem sobre essa campanha de difamação. Por exemplo, uma dessas pessoas foi a Ministra Tereza Cristina, que me alertou e me orientou a procurar as autoridades competentes”,  revelou.

Desvio

Sobre o possível desvio de vacinas, Resende afirmou que todas as informações foram repassadas ao Ministério Público que prontamente deu início às investigações.  

A denúncia da reportagem não deixa claro onde ocorreu o ilícito e quam são as pessoas que estariam comentando esses crimes. Como o Estado está primando pela transparência, no que se diz ao combate da Covid-19, também mandamos em forma de documentos a reportagem feita pelo site aos promotores. Nosso objetivo é avançar na imunização para vencermos as mortes ocasionadas pela Covid e, caso alguém tenha cometido esse crime gravíssimo, deve responder por ele”, disse.

E encerrou a entrevista dizendo que "nesse momento em que estamos atravessando, alguém cometer um delito como esse, é o pior tipo de ser-humano que existe e merece todo o rigor da lei.”

Leia a seguir, a matéria da TV GDSnews na íntegra:

O possível desvio de finalidade de 200 doses de vacinas contra a Covid-19 estaria deixando em pânico gestores de importantíssima prefeitura de Mato Grosso do Sul, principalmente porque quando a bomba estourar o chefe do Executivo Municipal poderá ficar muito mal com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) que vem se desdobrando junto com seus auxiliares para que o Estado seja modelo nacional na política de vacinação contra a Covid-19.

A irregularidade teria ocorrido a partir do momento em que se contatou que havia sobrado 200 doses de vacinas de uma remessa efetuada à referida prefeitura pelo Governo Federal.

Concluída a meta de vacinação do público alvo da referida remessa e mediante a sobra das 200 doses, o responsável pelo setor de vacinação teria decidido imunizar um grupinho de servidores públicos privilegiados. Porém, no grupo de WhatsApp onde foi dada a orientação para que interessados em se imunizar fizessem uma fichinha de inscrição, havia uma integrante que não faz parte do time do “chefe” e que não concorda com a mutreta oficializada e que pode desmoralizar a política estadual de imunização.

Com as orientações do responsável pela vacinação passadas pelo “Zap” devidamente “printadas” e salvas em pasta segura, a servidora que se recusou a fazer parte do processo ilícito de vacinação, constatou ainda que, entre as pessoas beneficiadas com a “treta”, constaria gente fora da idade mínima exigida e que nem seria do quadro de servidores da administração municipal, o que teria revoltado outros funcionários que não receberam a dose do imunizante e que já ficaram sabendo do ocorrido.

Segundo as informações ainda confusas que chegaram à redação do GDS News, a servidora que não lê a cartilha do chefe do setor de vacinação do município em destaque, depois de ameaçar fazer uma denúncia formal sobre o esquema ilícito, estaria sofrendo ameaças, motivo pelo que ela teme pela própria vida.

A equipe de reportagem do GDS News tem informações de que o assunto já teria chegado às autoridades competentes e nos próximos dias o escândalo pode vir à tona desnudando os maus gestores que desviaram a finalidade das doses preciosas da vacina contra a Covid-19.

Flávio Veras - Correio do Estado

Publicidade
Chicão

Leia Também