Publicidade
Marmoaria

Diário X

04 de dezembro de 2020
Aqui tem a Verdadeira Notícia
35º 25º
Coxim/MS
33º 24º
Campo Grande/MS
29º 20º
São Paulo/SP
31º 19º
Brasília/DF

Polícia

PMs libertam mulher mantida refém havia cinco dias na Zona Oeste do Rio 

21 NOV 2020Por Emilly Constanci22h:00

A PM libertou no sábado (21) uma mulher que era mantida em cárcere privado havia cinco dias em uma casa na Vila Vintém, Zona Oeste do Rio. 

Durante esse tempo, segundo ela, o sequestrador a agrediu e a violentou, não lhe deu comida nem água e exigiu que conseguisse dinheiro, após acusá-la de furto. 

A vítima conseguiu pedir socorro para a polícia quando o agressor saiu para comprar cigarros, na noite de sexta-feira (20). O homem foi preso em flagrante. 

Como foi o sequestro 

A jovem, que veio do Paraná para trabalhar em um estúdio de tatuagem na Vila Vintém, contou à polícia que conhecia o sequestrador apenas de vista. “Na hora do almoço, eu ia para a pracinha. A gente conversava, só isso”, disse. 

No início desta semana, quando ambos estavam na praça, começou um tiroteio. “Nós fomos nos esconder na casa dele, que fica em frente”, lembrou. 

Ainda havia um confronto quando o homem disse à tatuadora que “iria para a casa da prima”. “Sumiu e me deixou lá, com o barulho dos tiros, e ele não voltava”, narrou. “Deixei a chave com a vizinha e saí”, disse. 

Horas depois, de volta à praça, a jovem o reencontrou e lhe perguntou se ele estava bem. “Ele disse que ia me mostrar o que houve. Foi eu entrar na casa dele, e ele me trancou”, detalhou. 

“Ele afirmou que sumiram R$ 2.500 da casa dele. Eu não sabia da existência desse dinheiro ou quem ele era”, contou. “Ele começou a me pressionar, disse que a culpa era minha e me fez pedir dinheiro para a minha família.” 

“Durante esses dias, ele me bateu algumas vezes, me derrubou no chão”, disse. “Se eu não arrumasse R$ 2.500 até as 8h de sábado, a prima dele vinha aqui me matar”, emendou. 

A comunicação com os parentes era controlada e sob ameaça de uma faca. “A geladeira cheia, e eu dois dias sem comer.” 

Como foi o resgate 

Às 21h desta sexta (20), a jovem estava no banho quando o sequestrador saiu para comprar cigarros. Imediatamente ela ligou para o 190 e, na sequência, um celular do setor de inteligência do 14º BPM (Bangu) a contatou no WhatsApp. 

Pelo mensageiro, a mulher compartilhou a localização e avisou à polícia que o homem tinha duas facas. Ela disse que a melhor hora de tentar libertá-la era no fim da madrugada. 

Já era dia quando PMs chegaram à casa. A jovem conseguiu empurrá-lo contra um armário e se desvencilhou dele. Um policial o imobilizou. 

A ocorrência foi registrada na 35ª DP (Campo Grande). 

Fonte: G1 

Publicidade
.

Leia Também