TAVEL
Logo Diario X
Aqui tem a Verdadeira Notícia
07 de dezembro de 2021
35º 24º
Coxim/MS
33º 23º
Campo Grande/MS
21º 15º
São Paulo/SP
27º 19º
Brasília/DF

Estado MS

Temporais continuam a causar estragos e Amarildo Cruz quer providências

25 OUT 2021Por Redação/EC21h:19

O deputado estadual Amarildo Cruz quer providências urgentes para os estragos provocados pelas tempestades ocorridas nos últimos dias, em Mato Grosso do Sul. Casas foram destelhadas, inúmeros moradores ficaram por dias sem energia e árvores foram derrubadas comprometendo a rede elétrica. O fenômeno reflete problemas ambientais, como o desmatamento.

Em indicação, o parlamentar pede ao Núcleo de Promoção e Defesa do consumidor da Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, à 25ª Promotoria de Justiça do Ministério Público de Mato Grosso do Sul, ao Procon-MS e ao Procon Campo Grande, providências para encaminhamentos referentes a demora do restabelecimento da energia em diversos bairros da Capital, interior e em especial assentamentos e aldeias do Estado.

Em requerimento encaminhado ao governador Reinaldo Azambuja e para o diretor-presidente da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (Agepan), Carlos Alberto de Assis, o deputado pede informações sobre o cumprimento de ações preventivas e fiscalizações por parte da concessionária de energia, como o manejo de árvores sob a rede elétrica.  

“Busco informações a respeito da realização dos investimentos obrigatórios que a concessionária de energia está obrigada realizar”, justificou o deputado integrante da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor. 

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no período de agosto de 2020 a julho de 2021, foram contabilizadas 1.592.232 de reclamações em relação a Energisa, concessionária responsável pelo serviço. Dessas, 14,33% são referentes à falta de energia elétrica, que totalizam 228.105 registros.

Eventos climáticos extremos, como a tempestade de areia registrado no Estado, são reflexos do desmatamento e do agronegócio desenfreado. Conforme pesquisadores, tempestades de poeira normalmente ocorrem em grandes áreas de pasto e agrícolas.

A preservação de vegetação mais densa, com árvores e uma vegetação nativa, podem evitar a ocorrência de fenômenos como estes. Há anos, o deputado alerta para a necessidade de preservação do meio ambiente, sendo essa uma das bandeiras do mandato.

Tainá Jara/Alems

Ceres

Leia Também