Sonora
Logo Diario X
Aqui tem a Verdadeira Notícia
28 de janeiro de 2022
31º 22º
Coxim/MS
29º 21º
Campo Grande/MS
26º 19º
São Paulo/SP
28º 16º
Brasília/DF

Manoel Afonso

Coluna

O eleitor quer geladeira cheia e dinheiro no bolso

15 DEZ 2021Por Manoel Afonso17h:43

O ELEITOR: Independentemente da classe social ele adota a ‘Lei de Gerson’. É um interesseiro natural pelas experiências (decepções) que passou. Portanto é de se levar em conta o que o eleitor pensa e o que quer para sua vida e da família. Pragmático, ignora asteses sociológicas e complexas teorias filosóficas para focar nas suas prioridades e desejos a curto prazo. 

TROLOLÓ: No Brasil é engraçado – o cidadão se lança candidato e só depois contrata o marqueteiro para bolar ou enfeitar seu programa de governo. O marqueteiro é o cara que tenta seduzir, ler a alma do eleitor com palavras e frases atrativas. Mas o eleitor nem lê programa de governo que lembra bula de remédio -‘cura todos os males’.

IDEOLOGIA: O eleitor não quer debater Karl Marx, Adam Smith ou Max Weber. Acha eles complexos e abstratos. Prefere personagens de seu universo, visíveis no dia a dia. Um cidadão da sua comunidade, por exemplo, é tido visto como modelo, referência de liderança, de conduta social e laboral. Portanto, o olhar do eleitor é bem objetivo.

PROPOSTAS: Qual das agendas dos candidatos seduzirá o eleitor em 2022? A pauta da moral, dos costumes/corrupção ou a pauta econômica com viés social? Pelo visto ele irá direto ao ponto. Prefere a proposta que lhe garanta o dinheiro no bolso e a sua geladeira cheia. Talvez nem o combate a corrupção tenha força capaz de desviá-lo desta pretensão.

A PROPÓSITO: Assisti ao ex-ministro Mailson da Nóbrega numa palestra. Vive noutra galáxia. Só teoria. Mais convincente foi a camareira do hotel ao relatar-me a sua ‘ginástica’ da sobrevivência com seu magro salário. Ela sim vive o Brasil. Está explicado o desastre de Mailson como condutor da economia no Governo Sarney com a inflação recorde. 

DEPUTADOS & AÇÕES: Paulo Corrêa (PSDB): Promulgou a Emenda Constitucional criando a Política Penal de MS; condecorado pelo Tribunal de Justiça pelos serviços prestados; organiza a pauta das sessões. José Teixeira (DEM): viu o Governo atender seu pedido com o projeto de remissão do IPVA e taxas vencidas de motos. Só alegria. Paulo Duarte (MDB): Motivado, titular em 5 Comissões e suplente em 4 comissões, relatará o projeto do Executivo do Refis (Programa de Recuperação de Créditos Fiscais). Amarildo Cruz (PT); sancionada lei (seu projeto) declarando de Utilidade Pública a Cooperativa de Produção e Prestação de Serviços Gerais de Porto Murtinho; elogiou as ações do Governador em pról dos carentes e reiterou o pedido dos Restaurantes Solidários. Gerson Claro (PP): recebendo manifestações de moradores e usuários pelo início do asfaltamento da MS-455 “Estrada da Gameleira’; relator do programa ‘Conta de Luz Zero’ ressalta o caráter social diante da pandemia.. Lucas de Lima (Sol): destaca as obras rodoviárias do Governo Estadual na região de Bonito, inclusive do aeroporto, incentivando o turismo; ainda apoia e elogia o projeto de isenção da tarifa de energia beneficiando 121 mil famílias. 

DE OLHO!  Findo o ‘Brasileirão’, a velha política recupera a atenção do púbico.  Não tem jeito; as projeções, as análises e possibilidades dos eventuais protagonistas ocorrem. Os formadores de opinião fazem sua parte dissecando fatos do passado e presente, comparando os protagonistas e pinçando aspectos que passem despercebidos do público.

NO GRID:  Além da ministra Tereza Cristina (DEM), temos Odilon de Oliveira (PSD) como candidatos ao Senado. Eles vão se expor e antecipando o discurso de campanha. Ambos procurando atrair a simpatia da opinião pública. Mas ainda há chances do ex-governador Zeca do PT e da deputada Rose Modesto (rumo ao Podemos) integrar esse rol. Vai depender do rumo das negociações políticas em nível nacional.

SIMONE TEBET: A senadora do MDB surfa em outra onda. Candidata ao Planalto pode inclusive lá frente ser a vice do ex-Juiz Moro (Podemos). Com isso abdicaria do espaço político local e até poderia apoiar Rose Modesto para tentar sucede-la no Senado no caso do MDB, Podemos, PSDB, DEM se juntarem na tentativa de viabilizar a 3ª. via. 

DETALHES: É notória a divisão na cúpula do MDB onde o senador e cacique Renan Calheiros defende o apoio ao ex-presidente Lula (PT). O partido sempre jogou com a razão quando se trata da sucessão presidencial. Mas os índices das pesquisas é que devem mostrar as reais possibilidades da candidatura Simone; para ou continua.   

EM FRENTE: Vejo na mídia a atuação do senador Nelsinho Trad (PSD). Hábil, transita bem em Brasília. Ainda nesta semana liberou gordas verbas para Mundo Novo, Figueirão e acertou permuta de área da União com o município de Ponta Porã. Prefeitos e vereadores querem gente no Senado que agilize suas demandas administrativas. É assim que funciona.

PARLAMENTARES EM AÇÃO: João H. Catan (PL): pede implementação de infraestrutura em todas as 134 Escolas de Educação Básica para atender a grande demanda a partir de 2022. Evander Vendramini (PP): ressaltou as iniciativas do Governo Estadual e apoio do Legislativo contra a crise econômica decorrente da pandemia. Zela pelas causas do Pantanal. Antônio Vaz (REP): apresentou nesta semana nada menos que 8 projetos de lei envolvendo cidadania, saúde, educação, segurança e que começam a tramitar na Casa de Leis. Capitão Contar (PSL): seu elogiado projeto veda benefícios fiscais/incentivos às empresas condenadas por corrupção, improbidade ou ato lesivo a gestão pública; tem projeto exigindo publicidade  nas farmácias de remédios grátis do SUS. Marçal Filho (PSDB): destinou R$ 1 milhão a saúde da região Sul; R$4 0 mil ao Hospital da SIAS de Fátima do Sul  com 181 funcionários e que atende 18 cidades; destinou ainda um veículo ao Lar dos Idosos também daquela cidade. 

CONTROLE REMOTO: Ele será uma arma imprescindível com a volta do horário gratuito dos partidos políticos no rádio e TV que tinha sido extinto em 2017. Ao eleitor, além da tortura da programação, caberá o ônus financeiro - já que implicará em gastos do Fundo Partidário através compensação fiscal às emissoras. Cidadania ou sacanagem?

UM PARTO:  A PEC da Prisão após julgamento de Segunda Instância ao sabor das manobras de bastidores. Repercute bem no meio jurídico a decisão do relator – deputado Fabio Trad (PSD) – em retirar seu parecer da comissão especial. Ora! Dos 34 membros, 17 foram substituídos. Inegável: a sociedade clama por uma justiça mais célere, sem o festival de recursos em todas as áreas do Direito.

PRESSÃO & COAÇÃO: Esse episódio mostra bem como é complicado o jogo político em nível de Brasília. Em primeiro lugar são atendidos os interesses corporativistas e depois os partidários.  As pessoas do povo – que assistem à distância - não tem a mínima ideia da rede de interesses dominantes do submundo e dos corredores do poder.

ARTICULAÇÕES: São Importantes antes de iniciado o processo eleitoral. São as chamadas costuras que agregam líderes e partidos em torno de candidaturas majoritárias. Aqui já se percebe essas movimentações. Uma delas é liderada pelo governador Reinaldo  que tem atraído políticos do MDB e de outras siglas em apoio ao seu candidato Eduardo Riedel do PSDB. 

CONFIANÇA:  O governador tem deixado claro que a candidatura de Riedel está sendo construída com calma, alicerçada em estrutura consolidada em todas as regiões do Estado. Demonstra que o seu candidato exerce papel fundamental na implementação do seu plano de governo e tem, portanto, condições de dar continuidade a sua administração.

AÇÕES PARLAMENTARES: Lídio Lopes (Patri): Condutor das reivindicações de vereadores, prefeitos e lideranças do Cone Sul junto ao Governo Estadual; ativo nas sessões do Legislativo e da CCJR. NenoRazuk (PTB): assumiu a vice presidência do Legislativo; elogiou a isenção dos débitos atrasados de energia elétrica; tem 5 emendas para o Orçamento/2022 na saúde, agricultura familiar, educação, e na infraestrutura das Polícias Civil e Militar.Pedro Kemp (PT): pede revisão salarial dos professores convocados que atuam na Rede Estadual ganhando 32% a menos; seu projeto institui o Passaporte da Vacina aos funcionários públicos estaduais. José C. Barbosa (DEM): confiante no atendimento do seu pedido de construção de arenas esportivas na UEMS de Dourados, Cassilândia e Aquidauana; atento as obras do Governo em Dourados e na malha rodoviária da região. Mara Caseiro (PSDB): comemora o asfalto na MS 352 (Terenos - Ponte do Grego); pede veículo para o Depto Esportes de Caarapó; requer recuperação da MS-347 (Nioaque-Dois Irmãos do Buriti).

NA ESTRADA: Depois de apadrinhar a filiação de Odilon de Oliveira ao PSD, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) deve continuar sua política de contactar lideranças da capital e no interior principalmente. Suas recentes declarações inequívocas deixam claro sua determinação em seguir seu projeto político de se candidatar ao Governo do Estado.

EM ALTA: O ex-prefeito paulistano e ex-ministro Gilberto Kassab – presidente do PSD  ao se referir em várias ocasiões ao projeto da sigla para as eleições de 2022, tem insistido nos elogios ao prefeito Marquinhos, equiparando-o a outras lideranças nacionais do partido. O PSD tem 12 senadores, 35 deputados federais, 649 prefeitos e 5.624 vereadores.

O TORCEDOR: Quem conversa com o ex-governador Zeca do PT (torcedor do Botafogo) sai impressionado com seu bom humor. Ele diz que gostaria de ver o ex-governador Geraldo Alckmin filiado ao PSD e candidato a vice presidente de Lula. Ele que tem conversado com Marquinhos Trad, também tem feito tratativas com o PDT, Rede, Solidariedade, PV e PC do B.  Voltas que a política dá. 

EM BAIXA: Os últimos episódios envolvendo o ex-senador Delcídio do Amaral, hoje no PTB, dariam um filme. Mas a fase ruim parece não ter acabado com a publicação de edital de leilão de sua casa em Campo Grande, dia 20 deste mês pelo valor mínimo de R$ 2.254.660,00. Tipo de exposição pública que arrebenta a autoestima e imagem do cidadão. Lamentável, gosto dele, sempre me tratou bem. 

PILULAS DIGITAIS:

Não é só a lei que não pega entre nós. A Teoria da Evolução, por exemplo, por aqui também não deu certo. (Carlos Castelo)

Igreja anuncia o oitavo’ pecado capital’: Brasília

O poder simbólico e real do voto caiu em desgraça. (deputado Fábio Trad)

No Brasil os cães passam e quem ladra é a caravana. (Carlos Castelo)

A virtude não passa de tentação insuficiente. (George B. Shaw)

Antes dos portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade. (Osvaldo de Andrade).