Logo Diario X
Aqui tem a Verdadeira Notícia
21 de setembro de 2021
41º 28º
Coxim/MS
39º 27º
Campo Grande/MS
33º 21º
São Paulo/SP
33º 19º
Brasília/DF

Valdir Silva

Coluna

Bom dia, pais. Qual a desculpa de hoje?

27 AGO 2021Por Valdir Silva21h:15

“Retorno das aulas presenciais em regime de escalonamento gera muita polêmica”

Inclusive, uma postagem de minha autoria foi bastante comentada - com afirmações que traziam para o centro da discussão os riscos de contágio do novo coronavírus - no contexto da permanência em sala de aula.

Um dos argumentos, que muitos pais se valiam, era de que os protocolos sanitários não garantiriam a segurança necessária aos estudantes. Segundo estes, a vacina daria maior segurança, quanto ao contágio da Covid-19.

Tamanha foi minha surpresa quando um ‘noticioso local’ publicou que apenas 18 pais levaram seus filhos, compreendidos na faixa etária de 12 a 17 anos, para receberem o imunizante.

Inclusive, conclamava os pais que levassem seus filhos no "vacinaço" promovido pela Secretaria Municipal de Saúde.

Essa notícia foi bastante comentada entre educadores, porque coloca em xeque o argumento daqueles pais que temiam que os filhos se contaminassem no ambiente escolar por falta de vacina.

"Não vem à escola porque não tem vacina e quando tem não leva para se vacinar", comentou um profissional da educação ao ler a reportagem

Após a publicação daquela reportagem não se soube quantos pais procuram a secretaria de saúde para requerer o imunizante para seus filhos.

O que se sabe?

Que ainda é recorrente a ausência de muitos estudantes na escala de frequência determinadas pela coordenação pedagógica das escolas.

Por orientação da Secretaria de Estado de Educação, salvo os estudantes que apresentarem laudo médico de comorbidade, não haverá ensino remoto e a ausência nas aulas poderá acarretar a perda do ano escolar.

Para a faixa etária compreendida para recebimento do imunizante, o argumento da falta de vacina não funciona mais

O silêncio dos pais quando acionados pelas unidades escolares representa, por parte deles, o abono do próprio filho e a descrença de que a educação é um fator de mudança social e pessoal.

Qual será a próxima desculpa?