Publicidade
Marmoaria

Diário X

27 de maio de 2020
Aqui tem a Verdadeira Notícia
25º 10º
Coxim/MS
23º
Campo Grande/MS
21º
São Paulo/SP
25º 10º
Brasília/DF

Coxim MS

Situação do bairro Santo André em Coxim provoca indignação e revolta na população

Com banheiros alagados, os moradores utilizam sacolas plásticas para fazer as necessidades fisiológicas

24 FEV 2020Por Valdeir Simão18h:02

A grande quantidade de enxurrada que deságua no bairro Santo André em Coxim, tem provocado prejuízos materiais e causado indignação e revolta nos moradores, principalmente na região abaixo da avenida André Magro e mais ainda nas casas e comércios da avenida Presidente Vargas, que sem ter para onde escoar, a enxurrada acumula nos imóveis.

Os quintais estão tomados pela enxurrada, que enchem as fossas rapidamente, com o esgoto explodindo e esparramando para todo o quintal, invadindo a área de serviço, cozinha, banheiro e outras dependências, tornando-se impossível a permanência dentro das residências e comércios, devido ao mau cheiro insuportável de esgoto e fossa.

Débora Mota, terapeuta holística, proprietária de um dos imóveis que está alugado e foi invadido pela enxurrada, disse para a reportagem do site Diário X que ao chegar de viagem foi chamada pela sua inquilina, que relatou com tristeza e dor essa caótica situação da residência que fica nos fundos e o comércio na frente do imóvel

“É desumano o que a gestão do atual prefeito [Aluizio São José] está fazendo com a nossa cidade e o nosso povo. Pagamos tantos impostos e o cidadão não tem se quer o direito sagrado de viver em paz, harmonia e tranquilidade na sua casa. Estou com um sentimento de impotência, sem ter a quem recorrer e nem que medida tomar para ajudar essa gente sofrida do bairro Santo André e região”, desabafou Débora Mota.

Fátima Silva Pereira, comerciante e moradora na avenida Presidente Vargas, disse: “Já é ruim quando chove e alaga o quintal, que depois vai secando e fica uma lama podre. Mas agora a situação ficou muito pior, com a enxurrada aumentando a cada chuva e a fossa enche rapidamente, nos fazendo conviver com um fedor insuportável”.

“Se continuar assim, vou ter prejuízos, pois não consigo trabalhar e nem tem como receber os clientes no meu comércio com essa caótica situação. Não temos como usar o banheiro e as pessoas aqui de casa estão tendo que usar sacolas plásticas para as necessidades fisiológicas”, relatou a senhora Fátima

Gisely de Souza Pereira, moradora no bairro Santo André, disse que tem feito o que pode para tentar impedir que a enxurrada adentre no quintal e forme poças de lama na frente do comércio. “Faço o possível, fechando os buracos do muro, fazendo valetas na frente para escoamento da água, tentamos tirar com rodo, mas ultimamente não temos achado solução e nem meios para resolver esse problema da enxurrada, que tem aumentado a cada chuva”.

O senhor Danilo Mota, mais conhecido como Danilo da Isca, está fazendo um grande investimento em uma obra na esquina da avenida Presidente Vargas e a rua Joaquim Renovato, onde vai funcionar um bar e lanchonete, que já tem até o nome: Budega do Danilo.

Um enorme fogão caseiro já foi construído e a reforma já está chegando ao fim. No entanto, o comerciante ao mesmo tempo em que sonha e planeja ter sucesso no empreendimento, não deixa de manifestar   preocupação com essa situação, pois nos fundos do imóvel, a enxurrada chegou em grande volume, faltando muito pouco para inundar as dependências onde será a cozinha. 

A senhora Ana Batista da Silva, proprietária do Mustang Lanche, também na avenida Presidente Vargas nº 210, mostra com orgulho e satisfação a frente das dependências do seu comércio, muito aconchegante, bonito e bem cuidado. “Investi tudo que ganhei com muito trabalho aqui nessa lanchonete, com a esperança de dias melhores e ganhar dinheiro para manter a minha família”, relata. 

No entanto, ao ir andando para os fundos, Dona Ana mostra uma enorme lagoa, que com o passar dos dias, as poças de enxurrada vão se transformando em um ambiente propicio para a proliferação do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela. Com o sol escaldante em Coxim, em poucos dias o mau cheiro toma conta, incomodando as pessoas que residem próximas do local. 

O sistema de drenagem construído na rua Joaquim Renovato, está sem limpeza e manutenção, em quase toda a sua extensão, tomado pelo mato alto, dificultando até mesmo a passagem da água, que em alguns pontos está quase parada. Dependendo da quantidade de chuva, devido ao mato dentro da canaleta, a enxurrada vai transbordar e provocar mais problemas para os moradores e comerciantes da avenida Presidente Vargas.

Falta drenagem e pavimentação, mas tem sobrado e até passado dos limites, a tolerância, o sofrimento, a indignação e a revolta por parte dos moradores e comerciantes do bairro Santo André e região, principalmente para os cidadãos que tem suas casas, quintais e comércios invadidos pela enxurrada.

O descaso da administração pública de Coxim, comandada pelo prefeito Aluizio São José (PSB), provoca a sensação de abandono, vivenciada pela população coxinense, que enfrentam diariamente as adversidades do dia-a-dia, cada um se virando da forma que é possível, mas com o sentimento de impotência, diante da caótica realidade

Com as chuvas, que não precisa ser muito intensa, a enxurrada que escorre pelas ruas e avenidas, abre crateras e formam verdadeiras lagoas, que dificultam a passagem de pedestres, cadeirantes, ciclistas e motoristas, independente do veículo ou caminhão que esteja dirigindo.

No bairro Santo André e região, o mato alto nos terrenos baldios e nas áreas destinadas às calçadas, são locais que acumulam lixos e entulhos, tornando-se ambientes que podem esconder pessoas mal-intencionadas, que devido a precária iluminação pública se aproveitam dessa situação para a prática de ações perigosas contra a população e suas propriedades. Além disso, o mato alto se torna um local propício para a proliferação de cobras, aranhas, escorpiões, lacraias, sapos e outros animais peçonhentos e silvestres, que estão invadindo as casas e quintais.

O que disseram os responsáveis pela secretaria de Obras de Coxim e Vigilância Sanitária

O site Diário X foi chamado por um grupo de pessoas, para mais uma vez registrar e tornar público um grito de socorro devido a caótica situação em que estão vivendo no bairro Santo André. Em contato por telefone com o secretário municipal de Obras, Eliezer Ferreira, o mesmo atendeu prontamente a ligação.

Eliezer Ferreira comunicou para a reportagem que está viajando, devendo retornar à Coxim na quarta-feira (26). Informou ainda que o senhor Radson Francisco, popular Rato, atual Gerente da secretaria de Obras de Coxim, está de plantão para atender esse tipo de situação, que precisa de ação emergencial. 

Radson Francisco Bezerra de Lima, também atendeu a reportagem do site Diário X, onde informou que tem conhecimento da situação do bairro Santo André e especialmente das casas e comércios da avenida Presidente Vargas. Disse ainda que foi aberta uma valeta acima dos terrenos da avenida para que a enxurrada deságue no sistema de drenagem de concreto tipo U, construído na rua Joaquim Renovato.

No entanto, Radson disse ainda que não tem autorização do prefeito e nem do secretário de Obras, para quebrar um dos lados do sistema de drenagem da rua Joaquim Renovato, que poderia amenizar os problemas, captando grande parte da enxurrada que fica represada e acaba invadindo as casas, comércios e quintais da avenida Presidente Vargas

Débora Mota, também manteve contato com o Saimon Dene Braga Cândido, Gerente municipal de Vigilância Sanitária, onde o mesmo ouviu atentamente às solicitações, visto que trata-se de um problema de saúde pública, devido à precária situação em que se encontram os imóveis.

 
  • Fotos: Valdeir Simão - Diário X

Leia Também