Diário X

25 de maio de 2019
Aqui tem a Verdadeira Notícia

Coxim MS

Proprietários que impedirem ingresso de Agentes de Saúde serão notificados

O Setor de epidemiologia visitou quase 12 mil imóveis - dentre residências, terrenos baldios, comércios, entre outros - de janeiro a abril deste ano.

15 MAI 2019Por Redação/ML10h:11

Técnicos do Setor de Endemias da Secretaria de Saúde de Coxim reuniram-se com o Ministério Público em busca de apoio jurídico para o ingresso dos Agentes de Saúde nas residências cujos proprietários colocarem restrições. Esta atitude é ilegal e passível de multas e ações administrativas. Praticamente todas as cidades do estado já resolveram esta questão e colocaram a Polícia Militar no apoio dos servidores.  Em Coxim a situação é extremamente preocupante como no bairro Santa Maria que lidera o Índice de Infestação está em 5,8% com risco de epidemia. As notificações serão emitidas a quem impedir o ingresso em casas para verificação de focos.

LIRA FOI ATUALIZADO - Na última sexta-feira o secretário de Saúde de Coxim, Franciel Oliveira, divulgou o LIRA (Levantamento Rápido de Ìndice de Infestação) do Aedes Aegypti em todos os bairros do município (Ver Gráfico) com 1.494 imóveis visitados. Em pelo menos 33 casas foram encontrados focos do mosquito na área urbana da cidade, num índice de 2,20% de risco médio de epidemia no geral. Neste contexto o bairro Morada do Alto São Pedro com seis casos e Senhor Divino com quatro casos são os que apresentam situação mais complicada com quatro focos em 69 imóveis visitados.

LEGISLAÇÃO MUNICIPAL - A Procuradoria Geral do Município estuda modernizar a legislação municipal para ganhar agilidade nas questões que envolvem a saúde pública. Caso um proprietário não permita o acesso do Agente de Saúde ele vai ser autuado, mas a solução será burocrática. Em epidemias recentes no estado a Polícia Militar era acionada e garantia o trabalho dos servidores públicos. Em pontos da União a Justiça acatou o pedido do Ministério Público para a criação de liminares que permitem que os agentes de saúde entrem nos imóveis mesmo que os moradores recusem o acesso.     

MAPEAMENTO DOS FOCOS - Tecnicamente - a partir da atualização da LIRA - é possível identificar os criadouros predominantes e a situação de infestação em Coxim. Isso permite o direcionamento das ações de controle para as áreas mais críticas. No município as altas temperaturas predominam numa região com muita água, criando um ambiente propício para o mosquito. O ciclo do inseto em temperaturas amenas demora 30 dias, mas é reduzido para 12 dias em Coxim.

12 MIL IMÓVEIS VISITADOS - Nem tudo foi ruim neste levantamento porque alguns bairros que nos ciclos anteriores estavam com risco alto mudaram a classificação médio ou baixo, enquanto outros que estavam com a situação controlada aumentaram. O Santa Maria é o único com risco classificado como perigoso neste levantamento.  O Setor de epidemiologia visitou quase 12 mil imóveis - dentre residências, terrenos baldios, comércios, entre outros - de janeiro a abril deste ano.

500 LITROS DE INSETICIDA - Desses imóveis, 264 continham focos de larvas do mosquito. No período foram eliminados mais de 18 mil possíveis depósitos de larvas. Quase 800 quarteirões receberam mais de 500 litros de inseticida pulverizados com o fumacê dentro do município. A maioria dos focos está dentro dos quintais das residências como vasos de plantas, vasilhames de animais de estimação, ralos e caixas d'água destampados, calhas entupidas, entre outros.

O laudo da causa morte do jovem Belchior da Silva Viçoco(19) ocorrido na semana passada foi confirmado, Dengue e pneumonia.

 Denúncias de locais com focos ou suspeitos pelos fones 996467023 / 99962 3170.

Fonte: Cesar Rodrigues/Diario do estado MS

Enquete

Como você avalia os três primeiros meses de gestão do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL)?
Publicidade
Banner Parceiros

Leia Também