CENARIO
Logo Diario X
Aqui tem a Verdadeira Notícia
16 de junho de 2024
Coxim
24ºC

Coxim MS

Com dívida superior a 3 milhões, prefeito de Coxim deve recorrer a mais um parcelamento com a previdência dos servidores municipais (IMPC)

O valor deve aumentar muito mais com as folhas de pagamento salarial dos meses de novembro, dezembro e 13º salário

13 DEZ 2019Por Valdeir Simão08h:45

A diretoria do Instituto Municipal de Previdência dos Servidores de Coxim (IMPC), através de um ofício, comunicou à Câmara de Vereadores, na sessão ordinária de terça-feira (10), que a Prefeitura de Coxim, administrada pelo prefeito Aluízio São José (PSB), mais uma vez, está em atraso com o pagamento dos repasses previdenciários.

O valor total da dívida atual da Prefeitura de Coxim com o IMPC é de R$ 3.042.830,31 sendo R$ 533.462,98 da parte servidor e R$ 2.509.367,33 da parte empresa, referentes aos meses de julho a outubro de 2019

O Conselho Curador do IMPC, tem constantemente alertado os poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e demais órgãos de fiscalização, que a situação contábil do instituto de previdência dos servidores de Coxim, está comprometida no seu equilíbrio financeiro, sofrendo com a falta dos pagamentos mensais e sucessivos parcelamentos, uma vez que o IMPC tem que fazer o resgate dos fundos de aplicações para efetuar os pagamentos dos aposentados e pensionistas.

Com os constantes e inúmeros parcelamentos e reparcelamentos, o Município de Coxim aumenta cada vez mais a dívida fundada com o Instituto Municipal de Previdência dos Servidores de Coxim. 

No período de 2002 a 2012 (11 anos) a dívida dos ex-prefeitos de Coxim foi de apenas R$ 3.898.744,92. Na gestão do prefeito Aluízio São José, no período de 2013 a 2018 (em 6 anos), a dívida fundada com o IMPC teve uma elevação meteórica, alçando o montante de R$ 27.776.160,27 (valor em 28/02/2019)

Prefeito de Coxim, Aluizio São José Foto: Valdeir Simão - Diário X

A diretoria do IMPC tem buscado junto aos vereadores, apoio para que o prefeito de Coxim quite a dívida sem recorrer aos constantes e intermináveis parcelamentos, uma prática maléfica e prejudicial para a situação financeira do Município, que já se tornou uma rotina na administração do atual gestor.

Quando o prefeito era vereador e os parcelamentos dependiam de aprovação da Câmara de Vereadores, Aluízio São José se mostrava como defensor do funcionalismo municipal, fazendo inflamados discursos e se posicionando contra as propostas de parcelamentos na gestão da ex-prefeita e atual vereadora, Dinalva Mourão (PSDB).

No entanto, ao assumir o poder Executivo, Aluízio tem feito e continua fazendo muito pior que qualquer outro prefeito, e se mostra muito tranquilo, visto que atualmente detém o controle absoluto da maioria dos votos da Casa de Leis coxinense e os parcelamentos do IMPC não dependem mais de aprovação dos vereadores.

M9

Leia Também