Diário X

22 de julho de 2019
Aqui tem a Verdadeira Notícia

Política

Vereadores de Coari, no interior do AM, são investigados após denúncia de 'mensalinho' em vídeo

Segundo Ministério Público, dinheiro vinha diretamente do prefeito do município, Adail Filho

16 JUN 2019Por Redação15h:37

Todos os 15 vereadores da Câmara Municipal de Coari, a 363 km de Manaus, são suspeitos de participar de um esquema de corrupção e alvos de investigação do Ministério Público do Amazonas (MPAM).

A investigação foi aberta após o "mensalinho" ser denunciado em um vídeo feito em 2017 e entregue ao órgão. No vídeo, os vereadores sorteiam o nome que será "premiado" com uma quantia em dinheiro.

De acordo com a denúncia, o sistema de entregar o dinheiro a um vereador aleatoriamente era uma forma do prefeito do município, Adail Filho (PP), "controlar" a casa - uma mesada de R$ 10 mil que os parlamentares recebiam da Prefeitura de Coari.

Segundo a investigação, os sorteios aconteciam com frequência e eram filmados pelos próprios parlamentares para evitar fraudes.

"Era para dar garantia de que não havia boicotagem, então nós fazíamos ali", disse o vereador cassado Samuel Castro.

A investigação aponta que oito vereadores participaram do bolão, mas que todos os 15 parlamentares recebiam mesada da prefeitura. O escândalo veio à tona quando quatro deles romperam com o prefeito Adail Filho e denunciaram o esquema ao MPAM.

"O dinheiro vem direto do Executivo e é proveniência da mão do prefeito para o presidente da Câmara, Keitton Pinheiro, que é primo dele", contou o vereador Aldervan Cordovil.

Em nota, Pinheiro alegou que os fatos denunciados são mentirosos, "frutos de mais uma tentativa" de retirá-lo do cargo que ocupa.

Segundo o vereador Ewerton Medeiros (DEM), o "mensalinho" era responsável por manter os parlamentares sob controle de Adail Filho. "O dinheiro era para que a Câmara fizesse tudo que o mestre mandava", disse.

Adail Filho afirmou, por meio de nota, que "nunca houve nenhum tipo de repasse ilegal para a Câmara ou para qualquer um dos vereadores. Os recursos do executivo, que são repassados ao legislativo, são todos declarados e podem ser encontrados no Portal da Transparência dos Municípios". O prefeito de Coari disse ainda que não interfere de nenhuma forma nas decisões tomadas pela Câmara Municipal.

O vereador Carlinhos do Bem negou que o bolão usava dinheiro de corrupção. Segundo ele, a quantia tratava-se de uma arrecadação para ajudar o vereador Aldervan Cordovil (PTB), que passava por dificuldades financeiras. O parlamentar afirmou ainda que o grupo decidiu manter os sorteios até que todos fossem contemplados.

Cordovil, porém, negou a versão. "Isso não é verdade. É uma justificativa mentirosa, tirada da cabeça dele unicamente", disse.

Os promotores apreenderam o vídeo do bolão e já ouviram todos os envolvidos. Os 15 vereadores estão sendo investigados, inclusive os que denunciaram o esquema, segundo a procuradora geral de Justiça Leda Albuquerque.

"Nós estamos aprofundando essa investigação. Não tenha dúvida de que o vídeo nos traz elementos que são importantes de convencimento para algum eventual posicionamento do Ministério Público no futuro", explicou Albuquerque.

Fonte: G1 AM*

*colaborou Alexandre Hisayasu, da Rede Amazônica.

Publicidade
Banner Parceiros

Leia Também